segunda-feira, 15 de julho de 2013

A recompensa; seis estrelas cadentes
 
Sábado, 6h30 , é hora de levantarmos da cama. Pela frente um dia lindo, cheio de desafios. Mochilas prontas, bora pro Pico dos Marins, em Piquete. Pela segunda vez vou subir ao ponto mais alto do estado de São Paulo. Meu namorado já subiu várias vezes, mas a  cada expedição, ele diz ser uma sensação diferente.
Na subida ao Pico, ainda de carro, conhecemos Alexandre e Carlão. Vieram de São Paulo ,capital, e iriam encarar a escalaminhada pela primeira vez.
Já na base dos Marins conhecemos Marcelo, Raquel e Rodrigo. Vieram de Poços de Caldas, Minas Gerais ,para sentir a sensação do caminho das pedras.
Por volta de 10h30 iniciamos a   caminhada rumo ao Pico.
A placa indica o que nos  aguarda!!!!!!
 
 
Diferentemente da primeira subida, quando também era inverno, desta vez enfrentamos tempo um pouco mais fresco ,ventos mais fortes. Enfim, uma recompensa pelos seis quilômetros de caminhada que nos aguarda. Mas vale lembrar que desta vez, mochilas pesadas nos faziam companhia. Afinal ,vamos acampar.
Facilmente vamos ganhando altitude e o ar vai faltando. Apesar do peso nas costas,  por incrível que pareça, sinto minha resistência bem melhor que da última vez. (resultado da FUNCIONAL COM PEDRO VILANOVA. Olha a propaganda!!!).
A medida que íamos subindo os registros eram quase que obrigatórios. Assim como os tombos. Um escorregão aqui, um arranhão ali nos fazem lembrar que  conquistar um pico deste é para os merecedores de coração.Nesta hora também contamos com a ajuda um dos outros para enxergarmos caminho em meio a tantas rochas.
 
 
 
 Brinquei com os demais integrantes do grupo sobre a sensação de estar meio aos maciços que nos levam ao Pico. Dá a impressão de que estamos no meio de um episódio do Chapolin. Aquele que ele fala: “Aerolitos”. É tão diferente a paisagem , o clima, o mundo em que estamos vivendo  que fica estranho pensar que estamos no Vale.
Bom..... de volta a terra, ao passar pelo primeiro maciço nos perdemos. Subimos por um caminho diferente. Tivemos de voltar a trajetória indicada pelo totens,pedras indicativas .Pra isso, desbravamos uma mata intensa e os cortes nos dedos foram inevitáveis. Nesta época do ano, a vegetação está bem alta.
 
De volta ao caminho, faltava pouco para chegar ao nosso hotel (rsrsrs).
Ainda no meio da trajetória nos deparamos com uma figura estranha. Um senhor com quatro sacos cheios “sei lá do que” na mão, caminhando de chinelo e um paletó fino. Que é isso??? Estávamos ralando com todo o equipamento adequado, aquele homem com roupa imprópria e com pesos extras nas mãos nos alcançava a cada etapa. Quando foi perguntado sobre o que fazia ali, ele respondeu que “procurava uma caverna para repousar”. Tomara que tenha encontrado, pois a temperatura baixou e muito!Até  mesmo urso panda iria tremer.
 
Enfim, nos últimos maciços as paradas também eram obrigatórias pra recuperar o fôlego.
Por volta de 16h30, alcançamos o Pico mais alto do Estado de São Paulo. Marins, com seus 2.420 metros de altitude. Logo que chegamos o vento se intensificou. Facilmente alcançou  os 40 ou 50 quilômetros por hora. A sensação térmica caiu bastante .
 
Preparamos a barraca, nossa mansão com dois metros quadrados.
Quando parecia que não iríamos ver nada em meio a tanta neblina, ainda deu tempo de flagrar o majestoso por do sol.
 
 
Por volta de 18h30 já dentro da barraca, o vento só aumentava. Era tanta ventania, que fomos obrigados a cozinhar dentro da barraca. O cheirão de bacon e peixe logo tomou conta do pico.A vizinha de barraca até disse: Nossa que cheirão de bacon é este?
Apesar do cansaço, alcançar o pico nos traz uma felicidade imensa. Uma satisfação pessoal e espiritual. Uma paz que reflete na pele .
 
Depois de alimentados e descansados um pouco, topamos ir pra fora da barraca pra avistar a bela paisagem. Quando achamos  que o tempo ficaria nublado, fomos surpreendidos por um céu que parecia pintura. Eram tantas e  tantas estrelas que não poderia pedir mais nada.
Mas em apenas uma hora de conversa , olhando um pouco para o céu,  consegui ver seis estrelas cadentes. Não tenho tanto pedido para fazer (rsrsrs).
Além das estrelas, a vista do Vale lá de cima é incrível. É possível ver todas as cidades e ainda um pouco de Resende ,Rio de janeiro. Simplesmente, INCRÍVEL!
 
DIA SEGUINTE....
Pretendíamos acordar por volta de 6h para ver o nascer do sol,mas o tempo amanheceu tão fechado que até assustou. Foi aí que tivemos a certeza de estarmos enfrentando temperatura negativa. O vento era muito forte, facilmente reduziu a temperatura para dez graus negativos. AFF, e olha que eu amo o frio,mas este era de congelar a alma.
Depois de café tomado, hora de desmontar a barraca e preparar pra descida. Quando estávamos todos arrumados, a neblina era tanta que tínhamos o campo de visão comprometido. Ainda assim, iniciamos a descida com vento, pedra molhada e muita “coragem” e “medo”.
Descemos até que relativamente rápido. O lado bom da neblina é que não enxergamos a altura em que estamos.
Rapidamente encontramos um grupo parado em meio ao  caminho. A neblina intensa fazia desaparecer as rochas a nossa frente.
Juntos seguimos.Logo que  a visibilidade melhorou, começamos a encontrar vários grupos subindo ao pico.
O que nos impressionou foi  nos depararmos com  uma família com duas crianças e um adolescente. Não bastasse a subida ao Marins, eles pousariam e depois fariam a travessia até Minas Gerais. Bacana esse mundo apresentado pelos pais a esses filhos. Tenho absoluta certeza que serão seres humanos melhores.
Por volta de 14h chegamos a base do Marins,com aquela velha certeza de que mais uma parte de nós foi melhorada pelo que absorvemos da natureza nos apresentada pelo Marins.
É de uma enorme importância para o Vale, para a natureza como um todo. Esse pico contribui e muito para o abastecimento de água de moradores da região. É de  uma biodiversidade imensa.Vale a pena conferir. Pra quem nunca foi, o indicado é recorrer a profissionais . Um deles é o querido Gerson, um guia turístico apaixonado pelo Pico dos Marins. Tem um site: Acesse e o contate: http://www.marinzeiro.com/home.html.
Beijão gente e até a próxima!
 
ah,em seguida vou postar fotos!!!

2 comentários:

  1. Como vc é linda!

    Amo ver vc escrever e ler seus textos. Vc é sensacional Lili. :) Já estou com saudades! Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Olá Aline, que delícia você por aqui. Que bom saber que gostou!!.Tá na hora de você ir lá. Beijocas

    ResponderExcluir